Home » Blog » Medalha Paulo Frota de Direitos Humanos é entregue a diversos movimentos, na Alepa


15/12/2016

"A essência dos Direitos Humanos é o direito a ter direitos", escreveu a filósofa alemã Hannah Arendt. O Deputado Estadual Bordalo lembrou da assertiva, durante sessão solene da outorga da medalha Paulo Frota de Direitos Humanos, na tarde desta quinta-feira (15), na Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), em Belém, que homenageou mais de 40 pessoas e entidades que têm papel fundamental para a consolidação desses direitos no estado e também no Brasil.

"A essência dos direitos humanos  é o direito à vida. Hoje, no Pará,  os fatos estão dando cada vez menos espaço aos que necessitam da garantia de seus direitos. O Brasil, que já é marcado pela desigualdade social, tende a piorar com a aprovação da Pec 55. Discute-se a aprovação da terceirização sem limites no Brasil, o que incentiva a exploração trabalhista. Discute-se a transferência para o parlamento sobre a diminuição de titulação de terras para os indígenas, o que se choca com os interesses e os direitos dos índios. Com a extinção da ouvidoria do Incra, o povo do meio rural ficará sem voz. Nós (deputados, representantes de instituições e órgãos ligados aos direitos humanos), juntos, seremos capazes de vencer estes retrocessos", disse.

O movimento Ocupar a República, coletivo criado em março deste ano para luta política, foi repesentado pela cientista social Mariana Ximenes. "Somos atifacista e suprapartidário, acolhemos pessoas de movimentos tradicionais e coletivos mais recentes. A proposta fixa é encontro na Praça da República, no sentido duo de marcar o lugar ocorrem  os encontros e no sentido amplo da palavra, entendo que precisamos ocupar os espaços da política", comentou.

"Para nós é muito importante receber hoje esse reconhecimento. Começamos aglutinando muitas pessoas, estamos participando de vários movimentos e lutando contra uma série de quebras de direitos que estamos tendo, em todos os níveis federal e estadual", disse Mariana Ximenes. 

O coordenador da Associação de Moradores do bairro do Benguí, Charles Aviz, representou a entidade criada há 36 anos, e comemorou o recebimento do mérito. "Essa homenagem fortalece a luta daqueles que querem e sonham com uma sociedade melhor, sem violência e com garantia de direitos", disse. Ele acrescentou ainda que hoje batalham por uma luta específica: a reforma da escola Maria Luiza, que há 20 anos não passa por melhorias de infraestrutura. 

A professora Socorro Raiol, moradora do Benguí, também destacou a importância da luta da comunidade. "Queremos buscar melhorias para todos. E só quem está lá é quem sabe o que se passa", comentou.

 

 

Agraciados com a Comenda dos Direitos Humanos “Paulo Frota” - 2016

Nachara Palmeira Sadalla, Cássio Bitar Vasconcelos, Movimento Viva Henrica de Nazaré-MOVHEN, Ana Maria Lira Reimão, Marcos Hayden Albuquerque, Juraci Estevam de Souza, Rivelino Zaperllon, Clínica de Atenção à Violência, Roger Ney Lobo Teixeira, Valber Duarte, Antonio Carlos Gomes Freire Jr., Nerias Pinheiro Costa, Centro de Estudos Integrados Gênesis, Arturo Gonçalves, Hélio João Martins e Silva, Jorge Farias e  Neucinei de Souza Fernandes.

Homenageados pela Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor

Maria de Nazaré Macêdo Silva, Joaquina Barata Teixeira, Anna Cláudia Lins, Johny Fernandes Giffoni, Andreia Macêdo Barreto, Rogério Siqueira dos Santos, Marco Aurélio Velloso Guterres, João Paulo Carneiro Lêdo, Vladimir Koenig, Juliana Andréa Oliveira e Jean Gleison Brito Pereira.

Coletivos e instituições

Movimento pela Reforma da Escola Estadual Maria Luiza da Costa Rêgo, Movimento de Ocupações Estudantis, Movimento de Mulheres do Nordeste Paraense, Mecanismo Nacional de Prevenção e Prevenção à Tortura, Comissão Pastoral da Terra (CPT), Movimento dos Sem Terra (MST), Movimento pelo Direito ao Uso da Água, Instituto Popular Eduardo Lauande de Direitos Humanos, Instituto Paulo Fonteles de Direitos Humanos, Grupo de Pesquisa Movimentos Sociais, Educação e Cidadania na Amazônia da UEPA, Movimento Ocupar a República, Centro de Defesa da Criança e Adolescente-CEDECA/República de Emaús, Fundação Villas-Bôas, Associação dos Defensores Públicos do Estado do Pará, Coordenadoria de Monitoramento de Direitos Violados- CMDV/Sejudh, Núcleo de Atendimento às Vítimas de Violência-UFPA, Sindicato dos Jornalistas do Estado do Pará e Reserva Extrativista Gurupi-Piriá.

Cadastre seu email em nossa Newsletter e receba nossas notícias.

 
© Copyright 2017 Bordalo - Todos os direitos reservados.