Home » Blog » Deputado visita Escola Estadual D. Pedro I, no Marex


Na segunda-feira, dia 28 de novembro, na forma de presidente da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor (CDHDC) da Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa), fiz uma visita à Escola Estadual de Ensino Médio D. Pedro I, localizada no Marex, em Belém, como resposta a um pedido de ajuda do grêmio estudantil do colégio, para verificar os problemas de infraestrutura e encontrar uma solução para a melhoria das instalações do local. Hoje, há 1.553 alunos matriculados na escola, que funciona nos três turnos (manhã, tarde e noite).

Depois de uma rápida observação da estrutura da escola, a diretora Juliana Santana foi chamada e foi realizada uma reunião para debater os problemas relatados pelos alunos. Estavam presentes, além de mim e da diretora, a advogada da CDH, Verena Arruda, o engenheiro da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) Luiz Paulo Mendes, o funcionário da empresa terceirizada que presta serviços de manutenção à escola Jorge Amaro Júnior, e o professor Jaime Roberto Silva Ramos. Nenhum aluno ou membro do grêmio estudantil compareceu ao encontro.

Na reunião, falei sobre os relatos feitos pelos alunos, principalmente acerca da energia elétrica, dos ar-condicionados, do funcionamento da biblioteca em todos os turnos e da insegurança no entorno da escola. A diretora explicou que já está sendo feita a manutenção dos aparelhos de ar condicionado, bem como de outros problemas ligados às energias elétrica e hidráulica. Quanto à biblioteca, ela alega a falta de funcionário efetivo para trabalhar no local, principalmente pela falta de interesse dos servidores. “A maioria prefere dar aulas por causa do salário, que acaba sendo maior devido ao número de horas/aula”, complementou Juliana Santana.

E não é só a biblioteca que carece de funcionários. O laboratório multidisciplinar e outros espaços pedagógicos estão sem pessoal responsável, e a escola só conta com duas pessoas por turno para fazer a limpeza, quantidade que acaba sendo insuficiente para dar conta da higienização de uma escola que ocupa aproximadamente um quarteirão.

Quanto à infraestrutura, foram constatados problemas graves e a lista é extensa. A quadra de esportes demonstra uma obra inconclusa, sem cobertura, o que prejudica a saúde dos alunos devido à exposição aos raios solares em horários impróprios e, certamente, sem nenhuma proteção na pele; a luz é insuficiente e há avarias em assentos de vasos sanitários, no caso do banheiro feminino, e falta a reposição de mictórios em locais em que há instalação para tal, no banheiro masculino; o laboratório de informática está sem computadores, pois os equipamentos cedidos pela Seduc estão obsoletos e, por isso, amontoados no canto da sala para serem doados; vestiários que hoje servem como depósitos, inadequados para uso; forros e telhas quebrados; o mato está alto e percebem-se canos quebrados, por onde vaza água e cria focos de dengue, entre outros.

Segundo o engenheiro Luiz Paulo Mendes, não é necessária uma reforma na escola D. Pedro I, que completou 43 anos em junho deste ano. "Apenas uma manutenção é suficiente para reparar esses problemas", afirmou. No entanto, a diretora ressaltou que é preciso, sim, fazer uma reforma, posto que a escola é antiga e a maioria das instalações ainda é original.

Juliana Santana agradeceu a visita e disse que, assim como os estudantes, ela também conta com a ajuda deste parlamentar para que haja melhorias na escola, no sentido de chamar a atenção para a necessidade dessa reforma e a liberação de recursos por parte do Governo do Estado. Farei o possível para que a escola receba a devida atenção e que sejam tomadas as providências para que todos os profissionais e especialmente os alunos sejam beneficiados.

Cadastre seu email em nossa Newsletter e receba nossas notícias.

 
© Copyright 2017 Bordalo - Todos os direitos reservados.