Home » Blog » Deputado Bordalo pede celeridade nas investigações da morte de professora em São João da Ponta


A violência contra a mulher perdura e parece não ter data para acabar. A cada dia, jornais noticiam crimes classificados como feminicídio, aumentando o número de vítimas fatais, cujos autores são, em sua maioria, parceiros, ex-parceiros ou pessoas próximas das mesmas.

Na sessão ordinária de hoje (29/11), o deputado Bordalo apresentou uma moção solicitando celeridade nas investigações para esclarecer a morte da professora Ana do Nascimento Pinto Lima, de 48 anos, assassinada brutalmente no dia 26 deste mês, sábado, no município de São João da Ponta, nordeste do Pará.

O suposto culpado pela morte da professora é o ex-companheiro dela e também professor, Weider da Silva Galvão. Ana levou facadas e foi jogada em uma fogueira. Ela era morava em Ananindeua e lecionava em São João da Ponta. Segundo a família da vítima, a professora desapareceu na última sexta-feira (25), depois de pegar uma carona com o professor e outros colegas, quando voltavam do trabalho. A professora seria deixada no KM 39 da PA-136 e ia pegar outra condução para chegar ao município de Terra Alta, também no nordeste paraense.

Ela não apareceu no local e familiares começaram a ficar preocupados. Como eles sabiam que ela viria de carona com o professor, acionaram os policiais. No sábado (26), uma equipe da polícia foi até o sítio do professor, que fica na zona rural de Curuçá.

Lá, diante dos policiais, ele confessou o crime e disse que matou a professora a golpes de faca e depois queimou o corpo dela em uma fogueira no quintal. Segundo o suspeito, que está preso em Castanhal, o crime teria sido motivado por um desentendimento entre os dois. Revoltados com o assassinato, populares invadiram o sítio do professor no último domingo (27) e atearam fogo na casa e no automóvel do acusado.

Além deste caso, o deputado citou outros, como o da mulher assassinada em sua própria residência, no Sideral, Moemi Cardoso Ramos, de 54 anos, e o de Águas Lindas, onde houve outro assassinato brutal cometido por pessoas com máscaras de palhaço, que executaram uma mulher.

O Pará aparece como o 10° Estado brasileiro com o maior índice de casos de violência contra a mulher do país. 50,3% das mortes de mulheres no Brasil são cometidas por familiares, amigos ou conhecidos das vítimas. Destes, 33,2% são cometidos pelos próprios parceiros das vítimas.

O deputado defende a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar os diversos casos de violência contra a mulher, na busca de mudança de mentalidade em todo o Pará e punição efetiva dos criminosos, para que eles percebam que esse tipo de crime é gravíssimo e não pode ficar impune e sem solução. É também importante para educar e evitar novos casos e aumento destes índices.

Bordalo vai solicitar que a CDH se desloque para os municípios onde a ocorrência desses crimes é maior, provocando todos os órgãos competentes e alertando sobre a gravidade do caso.

Cadastre seu email em nossa Newsletter e receba nossas notícias.

 
© Copyright 2017 Bordalo - Todos os direitos reservados.