Home » Blog » Belém é a 2ª cidade mais violenta do Brasil, aponta relatório


O Brasil tem 19 cidades entre as 50 mais violentas do mundo, segundo o ranking divulgado, no último final de semana, pela ONG mexicana Conselho Cidadão para Segurança Pública e Justiça Penal. Belém aparece em segundo lugar entre as cidades brasileiras mais violentas e na 11ª posição mundial. A pesquisa avaliou a violência em municípios com mais de 300 mil habitantes. Os dados são referentes ao ano de 2016.

“Quando o assunto é violência, estamos sempre no ranking. Seja por meio de pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), seja por meio de outros institutos de pesquisa, vergonhosamente, o Pará sempre aparece entre os campeões. Então, não dá para o Governo do Estado negar mais ou colocar sob suspeita resultados de pesquisas, até porque moramos neste Estado e os números já não nos surpreendem. São, na verdade, o reflexo da impunidade e de políticas públicas ineficientes”, disse o deputado estadual Carlos Bordalo (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Pará, em pronunciamento, realizado nesta terça-feira, dia 11, na tribuna da Alepa.

O parlamentar citou ainda a pesquisa divulgada, em março do ano passado, pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA): o Atlas da Violência 2016, realizado em parceria com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), reuniu dados de todo o Brasil, entre os anos de 2004 e 2014. De acordo com o levantamento, o Pará possui quatro cidades entre as 20 microrregiões mais violentas, são elas: Altamira (8°); Parauapebas (11°); Marabá (13°) e Belém (20°).

“Agora, foi a vez da ONG mexicana divulgar um novo ranking, no qual as cidades paraenses figuram entre as mais violentas”, ressaltou o parlamentar. Das 50 cidades da lista, 19 estão no Brasil, oito no México, sete na Venezuela, quatro nos Estados Unidos, quatro na Colômbia, três na África do Sul, duas em Honduras, uma em El Salvador, uma na Guatemala e uma na Jamaica. Na décima posição no ranking, Natal é a cidade mais violenta do país, com 69,56 homicídios por 100 mil habitantes. Em seguida, aparece Belém e Aracaju.

Segundo a ONG, os níveis de violência na América Latina já eram esperados e refletem os altos índices de impunidade. No Brasil, ela atinge 92% dos homicídios; na Venezuela, em El Salvador e em Honduras, chega a 95%. “Nunca se matou tanto no Pará. Segundo dados do Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp), da Secretaria de Segurança Pública do Pará (Segup), no ano passado, o Estado registrou 4.196 mortes violentas, o que representa um aumento de 11,2% em relação a 2015, quando foram notificados 3.772 casos”, destacou. A tradução das estatísticas indica que, em 2016, houve praticamente uma morte a cada 2 horas, em todo o Estado.

Dos 4.196 casos de mortes violentas ocorridos no Pará no ano passado, foram 3.639 homicídios, 280 óbitos decorrentes de intervenção policial, 225 latrocínios e 52 lesões corporais seguidas de morte.

EM BELÉM

Na capital paraense, a situação é ainda mais grave. No ano passado, houve aumento de 21,8% nos homicídios em relação a 2015, com 157 ocorrências a mais. Em 2016, foram registrados 877 assassinatos em Belém, contra 720 em 2015. “Assim como aconteceu em relação ao Estado, os números da violência na capital também foram os maiores de todos os tempos. Todos os municípios da Região Metropolitana de Belém também apresentaram aumento de homicídios, em 2016”, finalizou o parlamentar. 

Cadastre seu email em nossa Newsletter e receba nossas notícias.

 
© Copyright 2017 Bordalo - Todos os direitos reservados.